sexta-feira, 18 de abril de 2014

João 3:16 contradiz a eleição incondicional?



É comum a utilização de João 3:16 por grupos arminianos em uma tentativa frustrada de demostrar contradição entre o amor de Deus e a eleição incondicional. Para este grupo, não há como conciliar a expressão " Deus amou o mundo" com a crença de que Deus escolheu alguns para salvação e reprovou os demais. Mas o que pode ser dito como resposta à esses arminianos? O texto de Jo 3:16 contradiz a eleição incondicional? 

Demostrarei neste artigo duas possíveis interpretações(talvez existam outras) que calvinistas dão ao texto em análise, mostrando assim a compatibilidade entre João 3:16 e a eleição incondicional.

João 3:16 nos diz: " Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna."

1- INTERPRETAÇÃO: Existem calvinistas que defendem que a expressão " Deus amou o mundo" é referente aos eleitos de Deus que estão em todas as partes da terra. Para este grupo de calvinistas, Jesus quis ressaltar a verdade de que a salvação não estava limitada aos crentes israelitas; mas que se aplicava a todos os eleitos de todo o mundo.

2- INTERPRETAÇÃO: Há outros calvinistas que admitem que a expressão " Deus amou o mundo" refere-se não somente a eleitos, mas a todas as pessoas sem exceção. Só que para este grupo de calvinistas, existe mais de um sentido quando se diz que "Deus amou o mundo. Eles definem que Deus ama os não-eleitos de forma "provisional", enquanto que ama de forma "salvífica" somente os eleitos. 

O amor provisional refere-se aos benefícios de ordens natural e material  que são garantidos pelo sacrifício de Cristo e que são dados por Deus à todos os homens. Por exemplo, Deus, por conta do sacrifício de Cristo, tem "suportado com muita paciência os vasos da ira, preparados para a perdição"(Rm 9:22). Isto é um tipo de amor, visto que, levando em conta que todos os homens neste momento mereciam estar no inferno, Deus os tem preservado com vida e sustento. (Mt 5:45, At 17:28)

O amor salvífico refere-se a intenção e desejo de Deus em salvar eternamente aqueles os quais elegeu. São os eleitos aqueles pelos quais Cristo garantiu a salvação. A expressão " deu o seu filho único, para que todo aquele que crê não pereça, mas tenha a vida eterna" é a garantia de que Deus só ama de forma salvífica os que tem fé, ou seja, os eleitos.

Então o texto ficaria assim: "Porque Deus amou o mundo de tal maneira( Amor salvífico e provisional aos eleitos/Amor provisional aos não-eleitos), que deu o seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna(Amor salvífico exclusivo aos que creem, ou seja, os eleitos). 

Deste raciocínio se entende que Deus enviou Jesus para que "os que cressem tivessem a vida eterna". Daí se conclui que Deus ama de forma salvífica somente os crentes, e não a todas as pessoas.

A interpretação arminiana :

Os arminianos defendem que o texto de Jo 3:16 nos quer transmitir a ideia de que Deus enviou Cristo para possibilitar a salvação de todos. Porém a escritura nos ensina que a salvação não é uma mera possibilidade, mas sim uma realidade para aqueles a quem o Pai entregou ao Filho (Jo 6:37). 

Mas, se como os arminianos eu digo que Cristo veio possibilitar a salvação, em outras palavras estaria dizendo que era real a possibilidade de não haver nenhuma salvação. Pois, o que poderia garantir a existência dos salvos se Deus não tivesse decretado a eleição de alguns para a salvação? O livre-arbítrio do homem? Claro que não! Afinal, se eu tenho livre arbítrio eu posso aceitar ou negar a salvação. E se cada pessoa tem o livre-arbítrio conclui-se que elas poderiam ou ter negado ou aceitado, o que quer dizer que existia a possibilidade real de que o plano da redenção fosse frustrado.

Assim sendo, torna-se impossível a interpretação de João 3:16 numa perspectiva arminiana. Logo, fica a critério do leitor escolher entre a primeira ou a segunda interpretação dada pelos calvinistas ao texto em análise. 

Soli Deo Gloria 

Álvaro Rodrigues

8 comentários:

  1. São nítidas as manobras acima e os malabarismos exacerbados para forçar a interpretação de um texto para adequá-lo ao pensamento de um sistema. Sugiro que apenas 20% de todo cristianismo são calvinistas e, isto, devido as institutas e outras obras conveniadas. O que quero dizer é que só com a Bíblia jamais um individuo crerá no predestinalismo conforme a frustada perceptiva calvinista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Manobras para você. Ademais, quem é você para afirmar que nenhum indivíduo crerá na predestinação incondicional à partir de uma leitura simples da Escritura? Eu mesmo conheço vários que acreditaram. Além do mais, se for protestante, não cuspa no prato de comeu.

      Excluir
  2. Concordo com vc Álvaro Rodrigues, creio na predestinação e na soberania a partir das escrituras...

    ResponderExcluir
  3. Não de forma tão contundente, mas as escrituras são claras.
    Me convenca do contrário dando outra interpretação a Rm 8 e 9.

    ResponderExcluir
  4. Acredito em predestinação ate que me covencam do contrário da interpelação de Rm 8 e 9

    ResponderExcluir
  5. Era Arminiano como vc Álvaro Rodrigues, mas um dia resolvi estudar as Escrituras. Realmente todos lêem a bíblia não fazendo uma exegese e sim a leem de acordo com sua eixesegese, como vc diz. Afinal, no contexto cultural Brasileiro todos nascem arminiano, mas alguns resolvem estudar de forma mais profunda a bíblia.

    ResponderExcluir
  6. Verdade Emmanuel Davi, pois todo mundo nasce sendo ensinado que existe livre arbítrio, e cresce crendo nisso. Um dia a gente se converte e resolve estudar as Escrituras e nela descobre a verdade. Me converti na Assembleia de Deus (nada contra) que é arminiana, mas graças a Deus hoje sou reformado!

    ResponderExcluir
  7. Verdade Emmanuel Davi, pois todo mundo nasce sendo ensinado que existe livre arbítrio, e cresce crendo nisso. Um dia a gente se converte e resolve estudar as Escrituras e nela descobre a verdade. Me converti na Assembleia de Deus (nada contra) que é arminiana, mas graças a Deus hoje sou reformado!

    ResponderExcluir